quinta-feira, 4 de junho de 2009

Livro com denúncias sobre a FAAP

Celita Procópio de carvalho
presidente do Conselho de Curadores

O livro Faap – Honestidade por Aproximação (Editora Biografia), da jornalista Wanderléa Farias, que denuncia uma série de irregularidades que estariam sendo cometidas pela FAAP – Fundação Armando Alves Penteado, já inspirou o Ministério Público a entrar em cena.

Entre as denúncias, uso indevido do cartão corporativo, apropriação de obras de arte, condenação pela Justiça Federal para restituição de R$ 100 milhões que a Faap teria deixado de contribuir à Previdência entre 1996 e 2002 (há recurso), não aplicação de 20% de sua receita em projetos sociais e outras, das quais a autora garante ter provas.

A Faap quer saber quem pagou a impressão do livro. Enquanto isso, Wanderléa Farias já estaria preparando o segundo volume, com novas denúncias, detalhando a ação da cúpula da fundação.

Fonte: Giba Um 03/06/09

5 comentários:

Anônimo disse...

Normal. Fala-se das sacanagens da Diretoria da FAAP há anos e da cumplicidade de um tal de Edson Rafael com eles. Ele é promotor. Mas parece que eles compram todo mundo e nada acontece. A Veja denunciou eles no passado e agora estão fazendo exposição juntos... Até a Abril eles compraram... Bando de gente sem-vergonha.

Anônimo disse...

O Josias de Souza já denunciou. A Veja já denunciou, A Globo já denunciou. O INSS comprovou. A justiça os condenou. Qual é o segrede para esses malfeitores que mandam na FAAP continuarem no poder? Existe corrupção na Curadoria das Fundações? É assim que eles se mantém no controle dessa fundação? O que a cúpula do Ministério Público de São Paulo faz alem de se calar? Ou será que frequentam tambem as comilanças que a FAAP proporciona a quem ela pretende seduzir. Muitas perguntas sem resposta e a roubalheira continua deslavada e IMPUNE.

editorabiografia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Todos na FAAP sabem o que a Diretoria faz e que Celita comanda um bando de ovelhas que só dizem amém. O que espanta é as autoridades fingirem que não vêm nada. Uma indecência. Li o livro, Traz denúncias antigas e novas. Com relação às antigas, o Ministério Público nunca sequer se manifestou. A aparência de formação de quadrilha é gritante.

Anônimo disse...

E incrivel o livro da wanderleia farias
Parabens wandecs